A falta de um diploma afeta a empregabilidade?

Por | Social Media na Uníntese |


Será que não ter um diploma de graduação afeta a sua empregabilidade? É disso que vamos tratar no texto de hoje.

Antes de aprofundarmos nesse assunto, vale esclarecer exatamente o que é empregabilidade. Essa expressão diz respeito à capacidade de um profissional conseguir um emprego. Ou seja, quanto mais atribuições e qualidades ele tiver, maiores as chances de conseguir emprego. Uma pessoa qualificada, atenta às necessidades do mercado de trabalho e realidade das empresas tem naturalmente uma empregabilidade alta.

Como ter empregabilidade alta?

A empregabilidade de uma pessoa também pode ser traduzida como  o quão atraente ela é para as empresas. Diversos fatores resultam na empregabilidade, como o conhecimento técnico, inteligência emocional, soft skills, capacidade de trabalhar em equipe e, sobretudo, formação.

Não é de hoje que um diploma de graduação aumenta as chances de uma pessoa conseguir um bom emprego. No entanto, a competitividade do mundo moderno fez com que mais pessoas buscassem qualificação. Diante deste cenário, ter um diploma em uma instituição de qualidade comprovada é quase um pré-requisito para aumentar as chances de um profissional ter um ótimo emprego.

Em um comentário na emissora de TV CNN, a especialista em educação Claudia Costin afirmou: “Em tempos de revolução digital, não ter ensino superior pode cobrar um preço grande em termos de empregabilidade e construção de futuro”.  

E é isso mesmo: o diploma de ensino superior décadas atrás é para a minoria, pois o acesso à educação era mais restrito. A maioria das pessoas precisava escolher entre estudar ou trabalhar.

Entretanto, o cenário mudou, e hoje a educação superior está mais acessível, inclusive com cursos superiores On-Line, sem a necessidade de o estudante ter que ir a um pólo presencialmente. Esse fator é extremamente favorável para quem trabalha e disponibiliza de pouco tempo. Instituições com a Faculdade Uníntese, por exemplo, oferecem cursos superiores EaD, com professores de excelência, conhecedores do mercado de trabalho e das necessidades das empresas.

E quem se forma na Uníntese ainda tem a vantagem de estudar em cursos com ênfase nas soft skills, que são habilidades comportamentais tidas como grandes diferenciais nos processos seletivos.

Ter uma formação também afeta a renda

Mais do que elevar a empregabilidade de uma pessoa, ter diploma de graduação também afeta na renda do brasileiro.

Um estudo recente revelado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) apontou que no Brasil, uma pessoa com graduação ganha mais do que o dobro de quem tem apenas ensino médio.

Em quanto tempo posso ter um diploma?

Há quem desista da idéia de fazer uma faculdade por achar que vai demorar muito tempo para se formar. Em alguns casos, não deixa de ser verdade, pois em algumas graduações o estudante leva até 6 anos para ter o diploma, e só a partir desse tempo, poderá buscar emprego.

Em cursos tecnólogos, a realidade é diferente. Atualmente, que optar por essa modalidade de graduação, terá o diploma de ensino superior em 2 anos. Ou seja: em apenas 24 meses, a pessoa poderá estar apta a concorrer às melhores oportunidades da atualidade.

Ok, mas quais formações estão disponíveis nessa modalidade?

Cursos que formam profissionais com alto grau de empregabilidade, como Gestão Financeira, Marketing, Gestão Comercial, Processos Gerenciais são alguns exemplos.

Atualmente, quem se forma nessas áreas se habilita a concorrer a vagas com salários superiores a 10 mil reais.

Conclusão

O mercado de trabalho mudou e está mais competitivo. Diante deste cenário, ter uma empregabilidade alta é quase um pré-requisito. E como obter isso?

Comece por uma graduação que enfatize a importância das Soft Skills. Só aí, você já terá 2 dos mais importantes pilares para alcançar as melhores oportunidades.